Governo Bolsonaro pagou R$ 47 milh√Ķes à JBS para comprar carne, diz revista

Segundo a Crusoé, desde a posse de Bolsonaro, no início de 2019, o frigorífico dos irmãos Joesley e Wesley Batista fechou 30 negócios com o Ministério da Defesa.

Por Paulo Pereira em 23/08/2020 às 18:27:38
Irmãos Wesley e Joesley Batista, donos da JBS, fecharam vários contratos com o Governo Federal (Foto: Reprodução)

Irmãos Wesley e Joesley Batista, donos da JBS, fecharam vários contratos com o Governo Federal (Foto: Reprodução)

A JBS recebeu R$ 47 milh√Ķes do governo Jair Bolsonaro (sem partido) para fornecer carne aos militares, segundo a revista Crusoé. De acordo com a publica√ß√£o, o card√°pio contratado inclui pe√ßas de picanha, maminha e filé mignon.

Segundo a Crusoé, desde a posse de Bolsonaro, no in√≠cio de 2019, o frigor√≠fico dos irm√£os Joesley e Wesley Batista fechou 30 negócios com o Ministério da Defesa para fornecer alimentos congelados aos militares do Exército e da Marinha.

Na √ļltima semana, a Crusoé também revelou que a JBS pagou R$ 9 milh√Ķes a Frederick Wassef, ex-advogado do senador Fl√°vio Bolsonaro (Republicanos-RJ), nos √ļltimos cinco anos.

Os repasses foram identificados pelo MPRJ (Ministério P√ļblico do Rio de Janeiro) por meio de um relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

Os promotores do MP investigam a relação de Wassef com Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro e suspeito de envolvimento em um esquema de "rachadinha" na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), quando o filho do presidente era deputado. Queiroz foi encontrado e preso em uma casa de Wassef em junho, em Atibaia (SP).

Na quinta-feira (20), a PGR (Procuradoria-Geral da Rep√ļblica) informou que vai pedir informa√ß√Ķes ao MP sobre os supostos pagamentos.

O objetivo da PGR é descobrir se esses repasses tiveram alguma influ√™ncia no acordo de colabora√ß√£o premiada firmado pelo órg√£o com os donos da JBS, os irm√£os Joesley e Wesley Batista. Se forem verificadas irregularidades, esses pagamentos poder√£o refor√ßar os ind√≠cios de omiss√£o nos acordos de dela√ß√£o.

Fonte: Da redação com Folhapress

goodday

Coment√°rios

Fortes do Brasil